Após conversar com a ex-patroa mãe do menino Miguel afirma: “Ela é um monstro, fria e calculista”

Mirtes disse que ela não demonstrou arrependimento, é um monstro uma pessoa muito fria e calculista

Mirtes Dias Souza, mãe de Miguel Otávio que caiu do prédio de luxo no Recife no dia 2 de junho, encontrou com a primeira-dama de Tamandaré Sari Corte Real quando estava na delegacia.

Mirtes disse que ela não demonstrou arrependimento, é um monstro uma pessoa muito fria e calculista, o encontro aconteceu no dia 29 na segunda-feira na delegacia de Santo Amaro, onde a patroa dela a primeira-dama de Tamandaré, que também ficou responsável pelo menino no momento em que ele caiu do nono andar, prestou depoimento à polícia.

Sérgio Hacker Corte Real prefeito da cidade de Tamandaré, também depôs na delegacia, quando Mirtes saiu da delegacia houve um tumulto a população se reuniu em protesto e policiais precisaram conter a manifestação.

A mãe de Miguel por volta das 8:20, declarou que iria esperar a ex-patroa sair da delegacia para dizer algumas coisas para ela, Mirtes ficou na porta da delegacia segurando a foto do filho, por volta das 10:50 ela foi autorizada a entrar na delegacia acompanhada de um advogado.

Mirtes relatou que a ex-patroa não se arrependeu e ainda ele falou que Mirtes não tinha obrigação de cuidar do filho dela, chegou a conversar com o marido de Sari prefeito de Tamandaré e ele falou com ela que podia contar com ele para o que precisasse.

Mirtes disse que não tem nenhum problema com o prefeito nem com os filhos, porque a única culpada é Sari, ela deixou o seu filho sozinho, a mãe de Mirtes, Marta Santana foi também a delegacia e falou que todos viram pelas imagens que Sari deixou o menino sozinho e apertou o botão do elevador, ela tem que pagar por isso.

Vários parentes de Miguel se sentaram diante do carro da primeira dama em protesto, a avó de Miguel disse que dinheiro fala mais alto, porque a delegacia abre por volta das 8 horas, mas por causa do prefeito e da primeira-dama abriu as 5:50 da manhã.

A polícia civil em nota disse que essa antecipação foi a pedido do advogado, por questão de segurança, o depoimento de Sari terminou por volta do meio-dia, mas ela só saiu da delegacia às 14:30, debaixo de xingamentos e gritos de assassina por parte da população.

 


Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.