O abandono de quem lhe deu a mão quando mais precisou. A realidade atual de idosos deixados no esquecimento esperando ao lado do telefone um simples “oi”

Quem acha que o abandono se relata só na parte física, está totalmente enganado também mexe com a parte emocional das pessoas, principalmente idosos.

Na verdade, os nossos idosos passaram uma a sua vida, privando de algumas coisas, para conseguirem criar os filhos, ter um lar, preocupados com os estudos, e também sempre protegendo das falsas amizades. Mas hoje em dia esses mesmos idosos, são menosprezados, pelos filhos, que hoje são ingratos.

Uma maioria deles, estão largados ao abandono, muitos sem eira nem beira, outros em lar de terceira idade, mesmo contra a própria vontade.Mas além disso, tem aqueles que ainda tem sua casinha, e passam o tempo na esperança que o telefone toque , para apenas escutar um “oi”, do outro lado da linha, de alguém que deu a vida e tudo que podia e não podia por eles.

Na verdade, trata-se de pais idosos, que foram deixados de lado, sem presença física ou até mesmo um carinho, um afeto. Um abandono que os idosos, são mais prejudicados, e mais comum do que deveria existir. Uma vida de uma velhice sozinha.

A necessidade extrema de falta dos bens essenciais, como roupa, comida e um bom banho. Eis a falta de cuidados, que hoje em dia se resume em lembranças. Idosos que foram deixados de lado, ao abandono por alguém que eles fizeram de tudo para serem o que eles são, abandonados pelos filhos.

Alguns deles, maioria das vezes, acabam nem por terem as minimas condições de se cuidarem deles próprios sozinhos, acabam sempre por ser dependentes de alguém.

Mas não é apenas o abandono que se resume em um único fato, mas existe outras várias formas relativas a abandono. Por exemplo já no caso de não fazer uma ligação, uma visita, não conversar ou ter paciência, para que eles façam no seu tempo de uma forma tao cruel.

Além disso, essa fase se resume num caminhar mais tardio, mais demorado, porque maioria das vezes acaba por faltar a conversa, assim como todas as recordações. Já as histórias, podem demorar um tempo mais a ser contadas.

Mas trata-se de um assunto absolutamente comum e normal.Você deve se lembrar que quando era criança, os seus pais sempre tiveram a paciência máxima, para segurar na sua mão, na rua e segurar a seus passos,pois na altura as suas pernas ainda eram bem pequenas.

Eles também ajudam a família, como podem e tentam” não atrapalhar”. Daí surge a aposentadoria, que acaba por servir, para oferecer viagens, presentes e apoio, e em troca surge o distanciamento.

Alguns deles dão até preferencia em ficar numa casa de repouso, ficando assim esquecido por todos, para não ter que dar trabalho a nenhum deles. Dessa forma, vão se afastando dos filhos, lentamente, e se isentando da responsabilidade, no minimo retribuir o gesto de carinho que eles tiveram com eles.

Às vezes, não é apenas uma visitinha”rápida”, que vai fazer seus idosos se sentirem relembrados. Mas sim tire um tempo só para eles, um dia de sábado, ou domingo, para dar um pouco de carinho, falar de coisas leves, e dar risadas juntos,coisas que muitas das vezes acaba por fazer toda a diferença, na vida deles.

Não precisa nada de luxo, nem gastar dinheiro em presentes caros, e esquecer que eles”não existem mais”. Muito pelo contrário, a sua presença, e a melhor prenda que você pode dar para um idoso ou idosa nesse mundo.

Aproveite esta reflexão, e dê uma ligadinha e uma palavra de conforto ao seu idoso ou idosa, ou a ambos, uma palavra vale mais que um presente de luxo.


Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!